top of page
  • Foto do escritorSilvio Ambrosini

Problemas com a temperatura de trabalho da transmissão automática

Atualizado: 27 de set. de 2019


Um dos mais graves problemas que as transmissões automáticas enfrentam é o superaquecimento.


Evitar que isso aconteça é essencial para sua sobrevida. Estima-se que 90% das falhas de câmbios automáticos estão relacionados diretamente com as consequências do superaquecimento da transmissão e a principal razão pela qual o câmbio automático superaquece é porque o fluido perdeu suas características originais. O óleo que perder sua qualidade ou trabalha sob alta temperatura é menos eficiente em cumprir as funções para as quais foi planejado, como lubrificação, equiparação de pressão e resfriamento. O calor e a idade avançada são especialmente o que faz com que um fluido de transmissão se degrade e isto, só leva a mais aquecimento.

A faixa ideal para a temperatura de trabalho do fluido é entre 80 e 95 graus centígrados e a cada queda de 10 graus na temperatura pode-se conseguir dobrar a vida da transmissão. Mas parece que não existe uma forma de dizer se sua transmissão está muito quente, ou existe? Sim, existe e é exatamente para isso que serve o medidor de temperatura da transmissão.


Instalar um medidor de temperatura da transmissão junto com um radiador dedicado são as melhores formas de evitar superaquecimento. Com o medidor de temperatura, você poderá acompanhar a temperatura de trabalho de seu câmbio automático, fazendo a medição da temperatura do fluido. Isso lhe dará os sinais vitais de trabalho excessivo e poderá avisar quando o calor excessivo estiver arruinando sua transmissão. Isso vai poupar você de reparos dispendiosos no futuro e garantir que sua transmissão funcione com eficiência máxima.

Perguntei aos "universitários" e obtive dois comentários interessantes sobre este tema: 1) Vale lembrar que a parte mais fácil do medidor de temperatura é o reloginho.. a coisa complica quando voltamos os olhos para a questão do sensor de temperatura que muitas vezes não tem como ser adaptado e aí o medidor vira quimera.

2) Alguns técnicos mais experientes irão alegar que não adianta muito colocar um radiador extra se o fluxo de circulação de fluido não é eficiente e isso faz todo sentido, afinal o radiador perde a eficiência se o óleo não circula devidamente pelo sistema. Procure se certificar de que seu técnico realmente sabe o que está fazendo.


A linha Volkswagen Audi que usa a transmissão 01M, por exemplo, é um caso claro de graves problemas causados por superaquecimento. Esta transmissão projetada para rodar nas Autobans debaixo do clima ameno da Alemanha, sofre dramaticamente com a buraqueira paulistana e o calorão de nossas terras. A instalação de um radiador dedicado se mostra claramente como uma importantíssima solução para problemas futuros e uma garantia de dramático aumento na vida útil da transmissão.

A maioria dos kits medidores de temperatura da transmissão vem junto com o que você precisa para instala-lo corretamente, incluindo a unidade transmissora, o hardware para a montagem, os terminais e as instruções de instalação.



.....................................................................................................................

Excelentes artigos para leitura

Oficina e dicas

Artigos com dicas no site da Automatik

Sonhos e realidades do reparo de Corpo de Válvulas

Audi e VW

Linha Francesa

Ford, GM, Fiat

Asiáticos

59.228 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


SUP1 Unknown
SUP1 Unknown
Mar 19

quanto menos calor melhor? e se o cambio trabalhar com 50 60º ? nao pode ser prejudicial o oleo muito frio?

Like

Mauro Schramm
Mauro Schramm
Oct 18, 2022

Texto bem interessante. Mas faltou citar as respectivas fontes das informações.

Like
bottom of page